Como fazer uma horta - o terreno

olival agras
Agras, Olival. Terreno agrícola parcialmente abandonado.
Como fazer uma horta? Terreno. Não há horta sem terreno. O terreno é a primeira e a maior das dificuldades para quem quer fazer uma horta. Para quem vive em cidades, como é o meu caso, as coisas não são tão simples quanto isso. Não pode ser um terreno qualquer, tem de ser um terreno fértil. Obviamente, e como nenhum de nós inventou o mundo, nem pretende vir a inventar terrenos agrícolas, a mais simples de todas as estratégias será utilizar um terreno que já tenha sido usado, ou esteja a ser usado, para a agricultura. Assim não há que enganar, o terreno é bom. Se funcionará melhor com umas culturas do que com outras, esse será um assunto a ponderar posteriormente, ajustando sementes e plantas. Uma coisa é obrigatória, o terreno deve estar bem servido de água. Seja ela água da companhia, água de charcos, água de poços, água de ribeiros - a água deve estar ali, disponível em quantidade e em qualidade. Convém que o terreno da horta  não seja muito longe de onde moramos, para que não se revele muito dispendioso em termos de transporte; mas é uma questão de ponderar os custos e os benefícios. E acreditem, há muitos terrenos a gritarem para receber uma horta.
E como conseguir, na prática, ter um terreno para a horta? As alternativas são algumas, umas mais praticáveis do que outras. Algumas são correctas e honestas, outras são simplesmente desonestas. Algumas são originais, outras completamente idiotas. Vamos analisá-las.

Roubar um terreno para fazer uma horta
Sim, eu escrevi "roubar terreno". Roubar à descarada, quero eu dizer. Quer dizer, não convém que seja muito à descarada. Simplesmente, não podemos chegar ao quintal do vizinho e começar a plantar por aí como se não houvesse amanhã, até porque o amanhã chega impreterivelmente e vem armado com uma caçadeira. Calculo que não seja crime que se pratique habitualmente nos dias de hoje, roubar terrenos para hortas, todavia ainda não há muito tempo parece ter sido prática comum. Quero eu dizer, alguém chegava, instalava as coisinhas, sobretudo em terrenos longe do controlo dos donos, e fazia de conta que era tudo deles. Sim, o mundo está diferente e os sistemas de controlo não permitem estas coisas de ânimo leve. Além disso, pode tornar-se perigoso. Obviamente, não recomendo esta opção. A não ser que sejam estupidamente ricos ou políticos (o que também estúpido) - nesse caso, ninguém conseguirá atingi-vos, e à terceira geração o terreno fará parte do espólio familiar.

Ocupar um terreno para fazer uma horta
Ocupar terreno é uma espécie de "roubar terreno" na pós-modernidade. Tudo o que foi escrito atrás sobre roubar terrenos aplica-se a ocupar terrenos, todavia não veste a aura eternalista e criminosa do roubo - é uma espécie de empréstimo sem prazo definitivo e com roupagens sociais. Obviamente, a primeira plantação do ocupa-terrenos será a cannabis, desvirtuando assim o que se quer com uma horta. Qual tomate, qual quê? Qual pimento, qual quê? É cannabis. Se quiserem mesmo ocupar um terreno fazer, embora eu não o recomende, desejo-vos muita sorte.

Pedir um terreno emprestado para fazer uma horta
a) Pedir terreno a desconhecidos. 
Sim, é possível pedir terrenos emprestados para a horta, qual é o problema? Não custa nada. E o não está garantidíssimo, portanto tudo o mais que venha será bem-vindo. Não esperem respostas positivas de pessoas que nunca viram mais gordas. E convém que vão arranjadinhos, não ao ponto de serem confundíveis com testemunhas de Jeová, quando forem apresentar a vossa proposta. Toquem à campainha, apresentem-se e diga ao que vão. Por exemplo: "Boa tarde. O meu nome é Ernesto. Sou cortador de carnes verdes no supermercado em full-time e acordeonistas no grupo de baile "Os Bons da Festa" e quero muito fazer uma horta. Reparei que, anexo à vossa casa, têm um terreno abandonado e que me parece perfeito para isso. Eu ficarei com uma horta e os senhores ficarão com um terreno bonito e bem tratado, o que vos parece?" Se depois disto, os senhores não vos convidarem para dentro de casa, vos oferecerem um café e quiserem saber mais pormenor, ou queiram mesmo negociar uma percentagem nas colheitas, então não sei que vos diga. Os senhores só podem ser muito quadrados.
b) Pedir terreno a amigos ou conhecidos
Tudo fica muito mais fácil quando pedimos um terreno emprestado para fazer a horta a um amigo, ou pessoa próxima das nossas relações. Neste caso, é a qualidade da relação que determinará o sucesso da incursão. Se o dono do terreno tiver uma impressão positiva de vós, facilmente conseguirão o vosso objectivo. Se, pelo contrário, não houver nada que sustente uma relação de confiança, podem tirar o cavalinho da chuva, não há horta para ninguém. Pedir terrenos emprestados para hortas é prática bastante comum nos meios rurais. Muitíssimo comum, na verdade. Casos há em que esse empréstimo passa de geração em geração ou entre familiares. A vantagem é de ambos. O dono mantém os seus terrenos bem tratados, o horticultor obtém os proventos da terra.
c)Pedir terreno a familiares
Pedir terrenos a familiares é ainda não fácil do que pedir o terreno a conhecidos. Ou não. As relações familiares são, obviamente, mais complexas do que as relações de amizade. Tudo o que disse atrás acerca do impacto das impressões no sucesso do pedido, aplica-se aqui, mas com o eventual bónus que as relações de sangue trazem. Para o bem e para o mal. Enfim, de qualquer modo, e caso queiram pedir um terreno emprestado para começar a fazer uma horta, questionem-se primeiro se algum familiar vosso terá um terreno encostado. Por este método, as possibilidades de sucesso são maior, parece-me. E também mais sanguíneas.

Alugar terrenos para hortas
a) Alugar terrenos agrícolas de desconhecidos, amigos ou familiares
Ler o tópico anterior e juntar dinheiro à prosa.
b) Procurar terrenos nos anúncios do jornais ou na internet
Sim, por vezes aparecem anúncios de pessoas que alugam terrenos para actividades agrícolas nos jornais. E sim, há muitos terrenos agrícolas para alugar em sites especializados, por exemplo o OLX. Geralmente, trata-se de terrenos excessivamente grandes para fazer hortas, mas nada como estar atento. A palavra de ordem nestes casos é negociar. E negociar. E negociar.

Hortas urbanas das câmaras municipais
São já uma tendência em crescendo. Ideia importada dos países do norte, as hortas urbanas começam a instalar-se em várias cidades. Nada como perguntar na vossa câmara, ou mesmo na junta de freguesia, se estão a desenvolver um projecto desta ordem. Se o conseguirem será uma maravilha.

Herdar um terreno para fazer uma horta
Dizia a minha avó do alto sua sabedoria que "quem não rouba ou herda não vale uma merda". Ela sabia o que dizia. Vamos concentrar-nos na parte da herança. Esta é a forma mais óbvia de ter um terreno para a horta. Chega-nos à mão sem esforço algum. Resta começar a preparar a terra.

Comprar um terreno para a horta
A verdade é simples: ninguém compra um terreno apenas para começar a fazer uma horta. Nunca ouvi tal coisa. Faz algum sentido? Não creio. Compram-se terrenos para médias ou grandes instalações agrícolas. Quando falamos de terrenos para hortas, falamos de pequenas porções de terra. Apenas fará sentido se esta porção de terra vier juntar-se a outra que temos contígua; o espaço onde temos a nossa casa, por exemplo. Comprar um quadrado para uma horta é disparatado. Mas o dinheiro é vosso.

Possuir um terreno para fazer uma horta
Estão à espera de quê, da vinda do Messias?! Tenham santa paciência e vão cavar!

Concluindo, caso não possuam ou não sejam os felizes herdeiros de um terreno onde possam começar a fazer uma horta, sugiro que pensem em formas de o pedir emprestado. A familiares será a forma mais fácil e directa, mas também podem pedi-lo a conhecidos. E dirijam-se à sede dos vossos municípios, podem ser que tenham sorte. Et voilá, foi a primeira lição de como fazer uma horta. É uma espécie de "horta para totós". Tratem mas é de conseguir o terreno para começar a fazer horta que a seguir falaremos de outras coisas.

Sem comentários:

Enviar um comentário