Congelar pimentos

Lavar, secar, retirar sementes, fatiar, fotografar e congelar. Será o saquinho mais colorido do congelador e dormirá bem encostado ao meio frango e à curgete. É por estas e por outras que gostaria de ter uma arca frigorífica daquelas à séria, suficientes para armazenar um boi ou um búfalo. Mas não: 3 gavetinhas, eis tudo. Tristezas de um pequeno apartamento. Agora que penso bem na dimensão das coisas, julgo que a horta terá mais área do que o meu apartamento. Ainda vou a medidas num destes dias, só para tirar as teimas. Se assim for, as couves ganhar-me-ão em espaço. É triste ser derrotado por uma couve, seja no que for. Adiante, que esta conversa de nada nos serve. Esta forma prática de guardar os pimentos foi sugerida pela mãe da S., e é um daqueles pequenos truques que convém guardar no fundo da memória para que deles possamos fazer uso logo que o pimento resolva mostrar-se de cores e de sabores. Congelar pimentos é muito simples. Eu repito: Lavar, secar, retirar sementes, fatiar, fotografar e congelar. A parte de fotografar é, obviamente, facultativa. Depois é só retirar para quando necessário. Para o o arroz, por exemplo. Há lá melhor arroz do que aquele que é aromatizado por pimentos? Nenhum. A S. é fã do pimento vermelho. Eu nunca, confesso, comi pimento branco ou amarelo. Quando o fizer fá-lo-ei com o entusiasmo e o nervosismo de uma debutante, embora vestido de forma bem menos elegante, onde pontificarão pantufos farfalhudos e uma T-shirt do Peter Cafe com uma baleia desenhada. Há lá forma melhor de comer arroz de pimentos? Cantés!



2 comentários:

  1. Olá

    Lindos e apetitosos.
    Faz-me lembrar as saladas de tomates que comi este Verão...
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar
  2. Tomates coloridos? Caramba, ando a perder muitas maravilhas da horta. Abraço, Augusto.

    ResponderEliminar