Tomilho


Ouvi falar pela primeira vez em tomilho (cientificamente, thymus vulgaris) quando comprei umas quantas ervas no Cantinho das Aromáticas, em Vila Nova de Gaia. Na verdade, até então pouco mais conhecia do que salsa, louro, manjericão, hortelã, orégão, e mais uma ou outra erva aromática. O Cantinho das Aromática despertou-me para a vida; ou melhor, despertou-me para a vida das ervas aromática.

tomilho vulgar

Na altura, comprei umas quantas ervas, entre as quais o tomilho, e plantei-as em vasos na varanda. Desde o primeiro dia, o tomilho é uma espécie de anfitrião do nosso cantinho de aromáticas. Vegeta muito contente à porta, e recebe olorosamente quem visita o canteiro.
Segundo reza a lenda (não exatamente a lenda, tratam-se de factos científicos, todavia deste modo a história ganha em dramatismo...), o tomilho é originário da zona mediterrânica e do norte e ocidente do continente africano. Segundo reza também a lenda (é muito bonito escrever isto!), os egípcios, os gregos e os romanos apreciavam-no pelas suas características medicinais. Durante a Idade Média, o tomilho era cultivado nos mosteiros como erva terapêutica.
O tomilho cresce até 30 ou 40 centímetros e tem muitos ramos leves mas densos. De Junho a Agosto produz flores brancas, lilases ou cor-de-rosa. Requer sol direto e solo seco e bem drenado. O tomilho germina à luz e por isso as suas sementes devem ser tapadas com pouca terra. A sementes podem ser germinadas diretamente ao ar livre em Maio. Os rebentos devem ser plantados na Primavera, com cerca de 20 centímetros entre cada um. Pode ser cortado regularmente, o que garante o crescimento de ramos novos e lisos. Deve ser cultivado entre Maio e Novembro. Para secar as plantas, os ramos devem ser cortados rente e antes de florirem. É uma planta resistente à geada. 
O tomilho pode ser usado em fresco ou em seco. Tem um sabor e um aroma muito agradável e confere um inconfundível toque mediterrânico à comida. A imaginação é o limite. De acordo com a S., o tomilho liga muito bem com carne. Eu acho que ela tem razão. A última vez que utilizámos o tomilho foi para aromatizar frango assado no forno. Esfregámos tomilho na carne e deixamos os raminhos no tabuleiro. Também o fizemos com as batatas que acompanharam o frango, e que assaram num tabuleiro diferente. Ficou maravilhoso.
O tomilho facilita a digestão de comidas mais pesadas. Curiosamente, mesmo depois de cozinhado, consegue manter o  sabor, ao contrário da maioria das ervas. Aparentemente, o tomilho combate a flatulência... Boa sorte com isso. Pelos vistos, o chá de tomilho alivia a diarreia, acalma inflamações da boca ou da laringe, bem como tosse e bronquite. Também pode ser utilizado em compressas ou loção, cura pequenas feridas, nódoas negras e queimaduras. É igualmente possível usá-lo no banho. 
E pronto, fica desta pequena maravilha que é o tomilho. É uma planta absolutamente obrigatória em qualquer jardim aromático. No meu, é.

Sem comentários:

Enviar um comentário