Visitantes da horta - o caracol

Ainda não tínhamos falado deles, mas horta sem caracóis não é horta. Adoram andar por lá a comer couves e folhas tenrinhas. Desde que não abusem, por mim encantado, e sobretudo desde que não comam as plantas quando elas são pequeninas. Já me trouxeram alguns dissabores. Os pepineiros nunca mais foram os mesmos desde que o caracóis os descobriram, por exemplo. É comum que venham para casa, muito escondidos na curvatura de um legume ou pendurados numa folha de nabiça. Seguem janela fora. Tenho ainda o cuidado para que caiam em lugar fofinho, mais do que isso não posso fazer. Gostam muito do tempo húmido, e agora que a chuva fala com a voz do trovão circulam a grande velocidade pela horta (sim, a metáfora da voz do trovão não saiu nada mal, mas hoje trovejou verdadeiramente, e trovejou tanto que me parecia a qualquer instante que a Princesa Verdade entraria janela dentro como na história de que a minha filha gosta tanto... tolices). Encontrei este rapaz que vos trago numa fotografia subindo contentemente a parede da casa dos avós da S.. Encontrei muitos outros, a maior parte deles na horta, mas este preencheu tão bem o ecrã que resolvi mostrá-lo.

caracol


4 comentários:

  1. Via "blogue de cheiros" descobri este espaço recentemente. Gosto do tema e das palavras com que aqui é tratado.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Rafael, e bem-vindo. O Jardim Autóctone foi direitinho para a minha lista. Arquitectura é também o jardim da S. Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  3. Olá
    A minha hortinha, dispensa-os...prfiro as minhocas.
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar
  4. Também prefiro, de longe, as minhocas. Na horta, claro. Abraço, Augusto.

    ResponderEliminar