As cebolas da tia Maria e aquela história de se apanharem cebolas no Minguante

Quem leu o título deste post já percebeu que estas cebolas não são minhas. Quem não leu o título deste post mas tem acompanhado este blog - duas ou três pessoas, já a contar comigo e com a Sara - já percebeu que jamais e em tempo algum aquelas cebolas poderiam ter sido criadas na minha horta. A explicação é simples: não sei o suficiente de agricultura para que as cebolas cresçam taludas desta maneira, seguindo as indicações ditadas pelas minhas mãos. Verdade seja dita, e para obviar ao discurso da desmestria: a minha experiência com o cultivo de cebolas limita-se aos 50 pés de cebola vermelha que plantei no ano passado. Este ano, e por motivos felizes, o tempo hortista escasseia, de modos que tive de cortar em trabalhos, e um desses trabalhos em que cortei foi no das cebolas. Nas cebolas e nas couves. Mas voltemos às cebolas. As da tia Maria. Estas cebolas que aparecem por aqui, nesta imagem, são plantadas e criadas no quintal da minha tia Maria; quer dizer, quem lhes tomou o trabalho foi o meu tio, ainda que lhes chame "cebolas da tia Maria" - algum engano devia ter o título. Dizia-me a tia Maria, em passeio pelo seu quintal, que estas tais cebolas taludas sempre foram muito remeladas, muito pequenas e feias, pareciam um torrão de nada, e de repente, depois de uma chuva mais generosa, saltaram da terra e ficaram bonitas como se pode ver. Ainda me ofereceu duas. Diz que está à espera do Minguante para as levantar do chão. Diz-me ela que é assim que se faz, embora não saiba explicar porquê. Tenho cá para mim que toda a gente que trabalha no campo sabe destas coisas da lua e esqueceu-lhes as razões. Devem ter morrido todas as pessoas que sabiam explicar os segredos. É provável. Diz-se que, apanhando as cebolas no Minguante, elas não espigam e aguentam mais tempo sem que se estraguem. Eu acredito nisso tudo. E mesmo que não corresponda a uma verdade cósmica qualquer, o ritual é muito bonito: apanhar cebolas no Minguante. Bonito. Parece-me muito bem. E consigo viver perfeitamente com isso. 

apanha da cebola


2 comentários:

  1. a cuscar

    http://pt.rhythmofnature.net/calendario-biodinamico

    ResponderEliminar
  2. Maravilha, não conhecia. Obrigado. Vou este calendário por perto.

    ResponderEliminar