Semear nabos

Agosto é mês de semear nabos. Deixo-vos um pequeno guia para o fazer sem grandes complicações.

De facto, Agosto não é apenas o mês das praias, dos emigrantes e das festas de aldeia; este ano faço férias na horta. Quando o sol está de poucos amigos, e para mimetizar de algum modo o ambiente estival, espalho creme protector nos braços e no rosto e dou-me por feliz. Não é nada disto, na verdade: Gaia tem praias fabulosas, e da horta à beira-mar são escassos quilómetros. Poderei, se assim o entender, acabar de regar os feijões e logo de seguida dar um mergulho no mar. Chama-se qualidade de vida. E se isto não são vacances brilhantes, não sei o que mais possa ser. Dizia eu lá atrás, antes de me perder em lucubrações desnecessárias e embaraçosas, que Agosto é o mês de ouro para semear nabos, segundo julgo eu saber do baixio dos meus saberes hortícolas. Aos nabos iremos. Na Sopraga, comprei nabos "60 dias Rosita"; o nome é tão bonito e campesino que logo nasce vontade interminável de espalhar sementes pelos campos e cheirar o perfume das flores; o nome é tão bonito que vemos, ao troço de uma oliveira, uma menina rosada e de cor-de-rosa vestida, alourando ao sol cachos de cabelos doirados e ninando um gatinho, sussurrando uma canção de embalar; o nome é tão bonito que as nuvens sorriem e o sol, ameno e benevolente, espalha uma luz branca como nenhuma outra nos terrenos macios; o nome é tão bonito que. Adiante. Resolvido que estava a semear nabos 60 dias Rosita, percebi que o melhor terreno para os semear seria o terreno entretanto liberto das cebolas vermelhas. Como aqui dei conta, foram colhidas uns dias atrás, e já ervas invasoras se alegravam com mais um pedacinho de terreno que julgavam poder desfrutar. Estavam, claramente, equivocadas. Numa primeira fase, cavei o canteiro, para que a terra ficasse macia; a semente, como se sabe, não gosta muito de terra dura, fica a queixar-se dias e noites inteiras, o que pode tornar-se bastante enervante. Logo se seguida, passei o ancinho para catar todas as ervas e alisei o terreno. Espalhei composto. Formei o canteiro, tendo o cuidado de desenhar as bordas, de modo a que receba e retenha água - um aspeto muito importante até que as chuvas reguem a sementeira, lá mais para Setembro, talvez. Li algures no infinito da internet uma forma muito interessante de semear e resolvi colocá-la em prática. Num balde misturei terra com as sementes e espalhei, com a possível homogeneidade, no canteiro. Alegrou-me o efeito. Finalmente, reguei para que as sementes não se levantem do chão e andem por aí a voar. Resolvi dar um ar pedagógico à obra e, numa estaca, afixei a embalagem das sementes. Assim, quem por lá passar, nomeadamente a família da S., logo verá que ali, e em breve, nabos espreitarão o sol, provavelmente o sol de Outubro.
E permitam-me um conselho: desbastem, mas desbastem mesmo o nabal. Caso não o façam, arriscam-se a transformarem o nabal num parque de diversões para os caracóis. E eu sei do que falo.

Deixo-vos a ficha completa, e sistematizada, de como semear nabos.

Ferramentas
  • Enxada
  • Ancinho
  • Pá de jardim
  • Balde
  • Regador


Materiais

  • Sementes
  • Composto
  • Terra
  • Água


Etapas

  1. Cavar o terreno com uma enxada
  2. Remover as ervas (pode ser com a ajuda do ancinho)
  3. Alisar a terra e retirar pedras e raízes, caso necessário (também com o ancinho)
  4. Espalhar composto
  5. Misturar o composto com a terra (igualmente com o ancinho)
  6. Num balde, misturar as sementes de nabo com terra (uma porção de sementes para 4 ou 5 de terra)
  7. Espalhar a mistura de forma homogénea no canteiro
  8. Regar usando o regador, e com todo o cuidado.


Et voilá, é o meu guia de como semear nabos. Deixo-o, esperando que venha a ser útil a alguém.

Dantes um cebolal, agora quase um nabal.
Preparação para um mix germinal: sementes e balde com terra
O canteiro já semeado
Um pequeno toque pedagógico: a embalagem das sementes numa estaca

5 comentários:

  1. Ja dizia o ditado:
    "Semeia-me no pó e nao me tenhas dó"

    ResponderEliminar
  2. Ja dizia o ditado:
    "Semeia-me no pó e nao me tenhas dó"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim.
      SEMEIA-ME NO PÓ ......E DE MIM NÃO TENHAS DÓ.
      Aplica-se aos Nabos (normalmente são semeados em Agosto com muito calor)

      Eliminar
  3. Tens a certeza que esse ditado não se aplica aos feijões? Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. quando se semeiam os feijões os terrenos devem estar bem molhados, mas de
      seguida devem estar uns dias sem receber agua até germinarem e podermos
      vê-los fora da terra. A partir desse momento pode dar-se uma
      pequena nuvem de humidade até estarem prontos a receber uma boa "regadela", não violenta.

      Eliminar